Voltar

A importância dos geradores e bancos de carga para data centers

Categoria: Blog

Os data centers, também chamados de Centros de Processamento de Dados, são considerados o coração de qualquer empresa, por armazenarem informações altamente sensíveis sobre a companhia.

Uma falha no datacenter pode significar milhões de reais em prejuízos e até mesmo a paralisação das atividades de uma corporação por semanas. Dessa forma é imprescindível que os Centros de Processamento de Dados contem com geradores de energia para garantir o fornecimento mesmo em casos de blackout.

Os Centros de Processamento de Dados devem utilizar geradores de energia que complementem a operação do UPS (Uninterruptible Power Supply, ou “fonte de alimentação ininterrupta) no caso de falta de luz. O UPS tem capacidade de fornecer energia emergencial por até 15 minutos, tempo mais que suficiente para que os geradores de energia entrem em ação.

O uso dos geradores de energia nos data centers se tornou imperativo desde que o Brasil atravessou uma crise energética em 2015. A crise se dissipou graças, em parte, à queda da atividade econômica. Mas agora, com as perspectivas de retomada do crescimento e consequente aumento do consumo, voltou a crescer o receio de novos apagões.

O que levar em consideração antes de instalar os grupos geradores

Ao planejar seu data center, leve em consideração o tipo de gerador que será necessário, o tamanho do equipamento, o combustível que alimentará o gerador, a localização e o regime de operação.

  • Tipo de gerador

O engenheiro responsável pelo data center e o técnico da empresa que venderá ou alugará o equipamento precisam determinar o regime de operação dos geradores.

Os regimes podem ser standby/emergência (quando o equipamento assume a carga apenas quando há falha no fornecimento da concessionária), prime power (quando o gerador funciona regularmente em um horário pré-determinado) ou base power/contínuo (funcionamento constante e ininterrupto).

  • Tipo de combustível

Os tipos mais comuns são o diesel e o gás natural, e cada um conta com vantagens e desvantagens.

Qualquer que seja a escolha, o consumo de combustível precisa ser dimensionado neste momento, levando em consideração o regime de operação e a potência dos equipamentos.

  • Localização

O local onde o gerador será instalado faz toda a diferença para se determinar qual o equipamento mais adequado ao data center. Se o grupo gerador for instalado em uma área externa ao do centro de processamento, será necessária a construção de um gabinete que proteja o equipamento de intempéries.

Já para instalações internas podem ser necessários isolamentos de vibração, abafadores de sons e sistemas exaustores dos gases emitidos pelo gerador.

Os geradores de data centers devem ser capazes de alimentar cargas não lineares sem comprometer termicamente os enrolamentos, dar partidas rápidas, ter filtros e baterias redundantes, boa capacidade de monitoramento e comunicação, e sistemas eletrônicos embarcados para controle de tensão, velocidade e paralelismo.

Os geradores mais comuns utilizados em data centers são os de 750 kVA a 1000 kVA. São equipamentos com alta eficiência no consumo dos combustíveis, baixo custo de manutenção, performance estável e com emissões de resíduos em conformidade com as normas pertinentes. Podem ser usados por até 500 horas por ano.

Cuidados durante a instalação

O principal cuidado a ser tomado durante a instalação do grupo gerador é o de realizar o comissionamento do sistema. Trata-se basicamente de utilizar bancos de carga para testar se todos os sistemas do data center (incluindo os geradores de energia) estão funcionando perfeitamente.

De maneira geral, para que um teste com banco de carga seja bem-sucedido os geradores precisam operar em capacidade máxima durante pelo menos 4 horas.

O teste deve avaliar também se os geradores são capazes de suportar uma mudança de carga repentina, indo de 25% da sua capacidade nominal para 100% da capacidade. Os comissionamentos dos geradores são realizados com bancos de carga resistivos e reativos de baixa e média voltagem.

Os bancos de carga podem ainda simular a modelagem térmica, com sistema de fluxo de ar; validar a conexão com a concessionária; testar transformadores e transmissões de proteção, testar o tempo de resposta dos sistemas UPS e validar a capacidade de resfriamento de chillers, torres de resfriamento e provedores de água gelada.

Um estudo realizado pelo Emerson Network Power revelou o custo da não utilização de bancos de carga para o comissionamento dos data centers. Empresas sediadas nos EUA gastam, por dia, cerca de 11 milhões de dólares para corrigir problemas que poderiam ter sido identificados com um comissionamento bem feito.

Cuidados após a instalação

Agora que já está tudo pronto para a operação do seu centro de processamento de dados, é hora de certificar-se de que sua empresa está coberta para qualquer necessidade.

Faça um contrato de assistência técnica com a fornecedora dos geradores, de forma a ter apoio em caso de imprevistos. Realize manutenções preventivas nos equipamentos periodicamente. O ideal é que as manutenções sejam feitas – por profissionais – a cada seis meses.

Faça o monitoramento constante dos geradores. Caso os aparelhos operem em sistema de standby, dê partidas manuais no aparelho, toda semana. Além disso, o ideal é que todos os meses os geradores sejam testados com bancos de carga. Dessa forma sua empresa terá a certeza de que, em caso de falta de luz, o sistema de backup é 100% confiável.

Não ponha em risco as informações armazenadas no centro de processamento de dados de sua empresa. Compre ou alugue geradores de energia de empresas de confiança e sempre teste o sistema com bancos de carga. Os investimentos são baixos e fornecem ao seu negócio uma segurança que não tem preço.

Ficou com alguma dúvida sobre sistemas de backup em centros de processamento de dados? Deixe sua pergunta logo abaixo, nos comentários, e em breve nossa equipe te responderá.