• flag-br
  • flag-esp
  • flag-us

A importância do banco de carga para o mercado de data center

PUBLICADO EM 09/04/2019 A importância do banco de carga para o mercado de data center

A importância do banco de carga para o mercado de data center

O maior data center do mundo foi construído em 1990 em Chicago, nos Estados Unidos. Com uma área de 102 mil m² é um dos quase 1500 data centers em funcionamento no país, operação que exige um significativo montante de energia.

Como estes empreendimentos comportam servidores e equipamentos para o processamento e o armazenamento de um grande volume de dados, a energia é essencial para garantir o funcionamento ininterrupto e seguro. Iluminação, baixas temperaturas e climatização constantes são condições fundamentais para que um data center seja competitivo no mercado e ganhe a confiança de clientes cada vez mais exigentes.

Assim, não basta ter a energia disponibilizada pela concessionária tradicional como única fonte. Usinas próprias e geradores precisam integrar o mix de energia a ser utilizada.

E, assim como os geradores, outro importante equipamento neste processo são os bancos de carga, que são empregados já no período de implantação de um novo data center.

Usados no comissionamento do grupo gerador, os bancos de carga testam e asseguram o fornecimento constante ao sistema de energia, permitindo que maquinários e equipamentos sejam certificados, garantindo as plenas condições de funcionamento.

Os bancos de carga testam geradores, transformadores de energia, conversores de frequência, sistemas UPS, baterias, painéis de distribuição, sistemas de ar condicionado, Chillers, nobreaks, células de combustível e quadros de transferência.

No mercado de data centers, a Tecnogera atuou em toda a fase de comissionamento do centro de processamento de dados da Odata, o DCSP 01, construído em Santana de Parnaíba, cidade da região metropolitana de São Paulo. Inaugurado em maio de 2017, o empreendimento consumiu investimentos de R$ 400 milhões.

Nesse projeto, a solução da Tecnogera, envolvendo bancos de carga, foi imprescindível no período da construção e testes do local, dando toda a assistência necessária para garantir que o data center estivesse pronto para operar, garantindo estabilidade do sistema e segurança dos equipamentos instalados. No total, foram disponibilizados mais de 3 MVA de energia e 6000 MW em bancos de carga.

O bom desempenho da Tecnogera no projeto de implantação do data center da ODATA credenciou a empresa para novos desafios, já que as expectativas para esse mercado são bastante promissoras.

Segundo a consultoria Frost & Sullivan, o mercado latino-americano de data centers movimentou US$ 2,87 bilhões em 2017. Desse total, o Brasil foi responsável por 47,6%. Até 2021 a expectativa é que os centros de dados registrem faturamento de US$ 4,37 bilhões na América Latina, o que deverá gerar grandes demandas para o setor de energia temporária.




VOLTAR